fundador do twitter doando milhões pra bolsonarista brasileiro

Jack Dorsey, fundador do Twitter, não é quem nós pensamos ser. Apesar de amigo de Beyoncé, o empreendedor tem prioridades estranhas.

o desgraçado do Jack Dorsey, fundador do Twitter
o desgraçado do Jack Dorsey

Estava lendo notícias de tecnologia até me esbarrar em algumas manchetes perturbadoras, que me levaram a uma série de reflexões sobre como usamos a internet.

Tudo começou com Elon Musk comprando o Twitter e deixando tudo do jeito que vemos agora. Em resumo; nazistas não precisam mais da deepweb pra se comunicar. Agora todo tipo de horror é permitido no site, e em português também.

Tivemos um falso suspiro de esperança quando Jack Dorsey começou a financiar o Bluesky, uma versão exemplo do que seria o protocolo AT (protocolo ARROBA, em português). Apesar de ser um financiador, Jack não têm gostado do resultado e abandonou o projeto. Ainda não sei dizer se parou de financiar, mas tudo diz que sim.

💡
Esse papo de protocolo é complicado, posso explicar num post separado daqui a alguns dias.

Muitos tuiteiros saudosistas dizem: "Jack, compre o Twitter de volta, por favor", como se isso fosse trazer de volta o antigo Twitter. Acontece que, para surpresa de muitos, Jack não trará nenhuma novidade. Ele concorda com toda a abordagem de Elon Musk no que se diz respeito à liberdade de expressão (relativa).

Ele demonstrou frustração com os filtros de moderação do Bluesky, que impedem grupos vulneráveis de lidarem com conteúdo que desumanizem sou firam sua dignidade, e chegou a dizer que "o Bluesky está repetindo os mesmos erros do antigo twitter".

Ainda não sei explicar por que Jack está fissurado com a ideologia pela liberdade de expressão, e, segundo ele, não somente de expressão, mas o livre arbítrio em si. Recentemente, Jack criticou os algoritmos, e como eles moldam nosso conteúdo com base "no que achamos interessante". Neste ponto ele realmente tem um respaldo, pois fala que os usuários deveriam ser capazes de criar seus próprios algoritmos, manualmente e de forma fácil e intuitiva. Mas isso iria quebrar um modelo de negócios que depende desse sistema complicado de anúncios direcionados.

A pior parte eu deixei pro final: Jack têm sido muito amiguinho e doador do Nostr, uma plataforma de mensagens criptografadas em altíssimo nível - sim, existem pessoas que realmente precisam desse nível de privacidade pra suas conversas "nada interessantes". Uma reportagem descobriu um dos líderes que recebeu a doação de US$ 10 milhõe de Jack: um olavista brasileiro.

Jack Dorsey gave $10 million to an anonymous founder with a deep devotion to a fascist ‘guru’
Twitter’s cofounder Jack Dorsey personally gave $245,000 in crypto to a developer who’s a follower and student of a well-known Brazilian fascist.

Isso me despertou várias reflexões, e endossam o motivo de eu ter voltado a usar e-mails, newsletter, blogs e messengers pra interagir com amigos. No próximo texto, vou falar um pouco sobre como a nova internet criou distâncias abissais entre eu e meus amigos "da vida real", apesar de todos os mesmos memes que vemos juntos.

Nota: a pesquisa que eu fiz sobre esse assunto foi muito rasa, mas, em resumo, o Jack doou USD 10 milhões à iniciativa Nostr. Obviamente isso não deve ter ido pro bolso de uma só pessoa. Nas próximas postagens, pode ser que eu traga ajustes.